#R8 – COMING SOON…

ldni6b1f

Entra ano, sai ano e Rihanna sempre abasteceu os ouvidos de seus fãs com músicas novas alocadas em álbuns marcados por diferentes fases da carreira da cantora. Foi assim desde 2005. Seja na metade do ano, no verão americano, ou no final do ano no inverno, sempre tínhamos um novo álbum, uma nova era, uma nova Rihanna.  Foi um total de 7 anos seguidos, incluindo relançamentos, onde o público pôde acompanhar o crescimento vocal, criativo e estratégico da diva de Barbados. Em 19 de novembro de 2012, através da Def Jam, foi lançado o Unapologetic. Sétimo álbum de estúdio e primeiro a alcançar o #1 da Billboard Hot 200, lista que mostra os 200 discos mais vendidos durante a semana nos EUA.

Numa entrevista, Rihanna falou sobre a sonoridade do disco e afirmou que gostava de experimentar novos sons e misturá-los. A cantora também confidenciou que estava trabalhando primeiro no som antes de iniciar os arranjos líricos e melódicos. “Eu tenho uma espécie de ideia, e é muito áspera agora. Por isso, estou muito ansiosa para começar”, afirmou a artista. O produtor Sean Garrett confirmou que a direção musical do CD seria “uma grande mistura de gêneros”.

Para muitos, o “Una”, como é apelidado pelo fãs, se tornaria o álbum de maior sucesso da carreira da Rihanna, tendo potencial suficiente para superar o Good Girl Gone Bad, lançado em 2007. Como chegaram à essa conclusão? Além da conquista na Billboard 200 citada acima, o “Una” ainda tinha como carro chefe a música Diamonds, que atingiu o topo da Billboard Hot 100. Aliás, durante 1 semana, single e álbum ocuparam simultaneamente o topo dos dois charts mais concorridos da revista musical mais respeitada dos EUA.

Além disso, ganhou o Grammy de Melhor Álbum Urban Contemporâneo em 2014 e teve com “Stay”, uma das músicas mais criticadas positivamente pela critica especializada, inúmeras execuções nas rádios de todo mundo. Apesar das vendas não terem superado o “GGGB”, definitivamente, o número 7 entrou para o hall dos melhores álbuns já feitos. Mas, o que estaria por vir depois disso?

Vamos ao que interessa, por que até agora falei do “Una” se a coluna é sobre o R8? Porque a Rihanna fez algo que nenhum fã dela está acostumado, quebrou o protocolo. Sim, meus caros, se passaram mais de 16 meses após o lançamento do 7º álbum e não temos nem uma possível data de lançamento do novo trabalho. Apesar disso, várias pistas e boatos já surgiram na mídia sobre como será esse novo tão aguardado material.

Em janeiro de 2014, o canal americano BET, revelou que Rihanna havia começado a trabalhar em um novo projeto. Nas entrelinhas ele estava sendo chamado de “She”. Alguns fãs gostaram da ideia e associaram o nome a algumas fotos postadas por Rihanna no Instagram onde a palavra era usada como legenda para a foto. Porém, outros acharam o nome muito simples e temeram que o conteúdo do álbum não fosse tão bom quanto o apresentado pelos antecessores.

Também em janeiro foi revelado um dos produtores que está trabalhando com Rihanna nesse novo projeto. Se em “Unapologetic” Rihanna inseriu mais elementos de R&B, pelo visto, algumas das faixas do seu sucessor serão inspiradas em um gênero musical que trouxe excelente resultado para a cantora no passado. “Nós estamos voltados para as pistas”, disse DJ Mustard em entrevista para o HipHollywood.

Em fevereiro, outro produtor que trabalha com Rihanna, Kuk Harrell, postou no Instagram uma “selfie” com as seguintes tags: #makinrecords #8 #puttininthework #rihannanewmusic. Isso mostra que a produção do álbum está a todo vapor. Quem também fez questão de registrar na mesma rede social o trabalho com a nossa diva, foi o engenheiro de áudio Trehy Harris.

“Uma das três salas de produção contabilizadas a partir da sessão de ontem à noite com Rihanna.”, disse ele com a foto abaixo. Três salas de som sendo utilizadas? Vem samba enredo dos grandes por aí…

Todas essas fotos surgindo. Produtores, engenheiros, mas, cadê a Rihanna no estúdio? Calma Navy, aqui está uma foto, postada pela Mellissa (@mdollas11) onde podemos ver não só Rihanna no estúdio, mas, Rihanna no estúdio escrevendo. Todos sabemos que apesar da cantora compor, essa prática nunca foi muito explorada, tendo em vista o fato dela ser uma excelente intérprete e ter aos seus pés um time de grandes compositores afim de trabalhar com ela.

Apesar disso, seria muito legal se ela escrevesse mais, porque quando o próprio cantor escreve sua música, uma dose a mais de emoção é colocada sobre ela. E é sobre emoção que vamos falar em seguida.

O que acontece quando estamos apaixonados? Alguns ficam bobos, outros ficam alegres, mas a grande maioria fica inspirado. Seja inspirado para fazer comida, limpar a casa, ir ao cinema ou até lavar a louça. O amor trás inspiração para a pessoa, pois, estando com quem se ama, todo o resto fica fácil, fica tranquilo. Eis que a nossa cantora está “namorando” – sim entre aspas porque ainda não foi oficialmente confirmado – o cantor Drake. Oi? Você acordou agora do coma e não sabia dessa? Acorda, bi, olha as fotos:

Se solteira ou sofrendo por conta do ex a Rihanna fez os melhores álbuns do mundo, imaginem apaixonada! Não temos nada concreto se eles realmente estão namorando, mas só por ele estar junto com ela já muda tudo. O Drake faz uma mulher se sentir mulher. Ele alugou um restaurante inteiro só para eles poderem jantar juntos, ela está indo a praticamente todos os shows dele na Europa e o principal: ela ficou 6 dias (até a data de publicação da coluna) sem postar uma foto no instagram. Sinal de que a coisa anda boa lá pela terra da rainha.

O que eu quero dizer com tudo isso é que o R8 promete ser um álbum libertador. Não só porque ela quebrou o tão comentado protocolo de um CD por ano, mas porque ela já possuí tudo do que precisava. Number one hit? Check. Number one album? Check. Grammy Award? Check. Icon Award? Check. Vogue cover? Check. Vevo certified? Check. Drake’s cock? Check. Entre muitas outras conquistas.

Hoje, a Rihanna não precisa pensar “Nossa, essa música tem que ser assim porque eu tenho que chegar a isso”. As metas foram alcançadas, os objetivos cumpridos. Agora, é deixar fluir. Evidentemente que não podemos nos acomodar e deixar a vida nos levar, mas, relaxar as vezes faz bem. Ela está no caminho certo. Aproveitando o tempo livre para ser divertir, visitar novos países, ir a semanas de moda, participar de editoriais e tudo isso mesclando com as gravações do novo disco. Vejam o quanto de bagagem ela irá trazer a este trabalho. O quanto de inspiração ela adquiriu nesses meses.

Ainda tem muita coisa para ser feita e uma carreira imensa pela frente, afinal, em algumas listas Mariah Carey e Whitney Houston aparecem a frente dela e passar essas lendas não será fácil. Mas a partir dessa nova era, veremos uma Rihanna que nenhum Navy imaginou que veria, disso eu tenho certeza.

The samba is coming.

Coluna por: Douglas Petry

COMENTÁRIOS